A Microsoft divulgou hoje os resultados de um estudo realizado no Canadá que mostra que o tempo médio de atenção de um ser humano agora é menor do que o de um peixe dourado. A pesquisa monitorou 2 mil participantes e estudou a atividade cerebral de mais 112 pessoas através do eletroencefalograma. De acordo com a empresa, desde o ano 2000, quando a chamada “revolução móvel” começou, o tempo médio de atenção das pessoas caiu de 12 para 8 segundos. O tempo médio de concentração do dourado é de 9 segundos. “Os heavy users de dispositivos multi-telas são mais facilmente distraídos por fluxos de mídia múltiplos fluxos de mídia”, aponta o estudo. Mas também há um lado positivo: a capacidade de realizar diversas tarefas ao mesmo tempo melhorou. Segundo os pesquisadores, essa modificação é resultado da capacidade do cérebro de se adaptar ao longo do tempo. A diminuição no tempo de atenção pode ser um dos efeitos colaterais da era da internet móvel. Internet como distração A pesquisa também mostrou que as gerações usam a internet em dispositivos móveis de maneiras diferentes. Questionados, 77% dos entrevistados com idade entre 18 e 24 anos responderam “sim” para a afirmação “quando nada está ocupando minha atenção, a primeira coisa que faço é pegar o meu telefone”. Apenas 10% das pessoas com mais de 65 anos responderam o mesmo. peixes